Após manter o segredo bem guardado durante as últimas semanas, chegou finalmente a hora de anunciar a entrada da Enchufada pela porta grande de uma das mais emblemáticas casa da cidade do Porto. Falamos da Casa da Música, local privilegiado para o contacto com as novas linguagens musicais, que retoma a programação electrónica dos eventos Optimus Clubbing com a nossa curadoria, com Buraka Som Sistema, Branko, DJ Marfox, Diamond Bass, Nave Mãe e KKing Kong a representar o lado mais tropical da música de dança lusa, a 20 de Abril.

O jovem representante da cena moombahton em Lisboa, KKing Kong, dá início a este take over da Enchufada às 22h00 no Foyer Sul com as selecções de ritmos lentos e sensuais que o identificam, fazendo a ponte entre a música latina e a electrónica contemporânea. De seguida estará Nave Mãe no Espaço Cibermúsica às 23h00, DJ natural da Invicta que levará os presentes numa viagem sonora pelo melhor que o underground britânico tem para oferecer.

Chegando as 23h30 é a vez dos cabeças de cartaz Buraka Som Sistema se apresentarem no palco principal da Sala Suggia, actuando em formato de banda e com o alinhamento completo, revisitando as canções icónicas de ‘Black Diamond’ e ‘Komba’ que os tornaram num dos grupos portugueses de maior impacto internacional.

De volta ao Espaço Cibermusica, o DJ e produtor lisboeta radicado em Londres Diamond Bass traz consigo os mais frescos híbridos entre a electrónica orientada para as frequências graves e os ritmos africanos às 00h30, uma fórmula que será também explorada pelo kuduro mutante de DJ Marfox, que apresenta ao vivo ‘Subliminar’, o recém-editado EP na Enchufada, às 00h00 no Foyer Sul.

Para fechar a noite que aproxima o Porto da linha do Equador contamos com as sempre surpreendentes selecções de Branko, o membro-fundador dos Buraka Som Sistema anteriormente conhecido por J-WOW, que aproveita a ocasião para apresentar as mais recentes novidades saídas do seu estúdio, onde se encontra a preparar uma nova mixtape que será apresentada em Abril. Juntem-se à Enchufada nesta celebração da vida que irá encher a Casa da Música de corpos em movimento, em comunhão com a batida, porque dançar é sempre o melhor remédio.